Bem-Vindo!

Ao site do Lokaos Rock Show.


ROCK DE VERDADE, COMO DEVE SER MOSTRADO!

Colaremos:

18/09/2014 03:21

Lokaos entrevista Dave Lombardo (ex-Slayer)

Author: lokaos

10606430_10152253161407447_3434786658075900538_n

 

Julia Bueno entrevistou o lendário baterista Dave Lombardo, ele fala sobre sua passagem pelo Brasil, Slayer, projetos futuros e muito mais, confira:

Pauta – Edu Rox e Nacho Belgrande
Tradução – Nacho Belgrande
Gravação – Gabriel Carvalho
Edição – Jonas Souza
Agradecimentos – Manifesto Bar e Bateras Beat

DAVE LOMBARDO Reportedly Open To Replacing SHAWN DROVER In MEGADETH

O texto abaixo tem sido postado em alguns fóruns especializados na internet sob o login de ‘Philip L.’, um fã suíço que teria se encontrado com o baterista DAVE LOMBARDO na tarde de ontem, 26 de novembro de 2014, em um workshop do músico.

O que segue abaixo é a tradução de um trecho do post que circula.

[…]

“Eu acabo de voltar de um workshop de bateria de DAVE LOMBARDO [SLAYER, GRIP INC., PHILM} em Genebra, Suíça, realizada no dia 26 de Novembro, que foi bastante impressionante.

Durante a sessão de autógrafos, Dave deixou claro que estava aberto à possibilidade de juntar-se ao MEGADETH, caso o convite fosse feito a ele.

Enquanto ele assinava minha cópia de ‘The Director’s Cut’, do FANTOMAS, eu mencionei que o Megadeth está precisando de um novo baterista. Lombardo me olhou com um enorme sorriso e disse, perante vários fãs [verbatim: ‘Eu sei. Acabei de saber. Dave tem o meu número, então estou esperando’. Ele olhou para nós, sorriu, e continuou autografando. Ele pode ter dito isso de brincadeira, mas não por nada, isso indica que Lombardo está aberto a possibilidade de substituir a SHAWN DROVER. Ele pareceu genuinamente interessado na possibilidade.

Lombardo declarou durante a oficina que ele tem planos de sair em turnê com seu novo projeto, o PHILM, num futuro bem próximo, mas ele não mencionou isso em sua resposta sobre a vaga no Megadeth.” […]

Rob Affuso

Entrevista conduzida por MARKO SYRJALA

O baterista estadunidense ROB AFFUSO, famoso por seu trabalho no SKID ROW de 1987 a 1998, concedeu recentemente uma entrevista ao site Metal Rules, e não se esquivou de nenhum tema, sendo bastante franco a respeito de suas posições.

Depois que o OZONE MONDAY – banda resultante do racha do Skid Row e que durou pouco tempo no fim dos anos 90 – voltou a ser Skid Row, Affuso resolveu estabelecer-se em sua empresa, a Soulsystem Orchestra Inc. em Nova Iorque, e seguiu musicalmente como baterista da banda Soulsystem, que toca covers de clássicos da black music em eventos corporativos e casamentos.

O que segue abaixo é uma tradução de trechos da conversa, que pode ser apreciada na íntegra clicando AQUI.

MR: Eu soube que depois do Skid Row você desenvolveu uma carreira bem-sucedida com a Soulsystem Orchestra. Quando é que a banda foi fundada e como você descreveria suas atividades e estilo musical?

Rob: A Soulsystem é uma banda que eu formei em 1997, na verdade em 1992, eu a formei depois da turnê de “Slave To The Grind”, acho, quando voltei para casa. Apenas porque eu gosto do estilo de música onde haja uma pequena seção de metaleira, eu estava tocando aquele tipo de música antigo de funk da Motown, R&B, soul. Eu gostava da força do… eu gostava do som dos trompetes, vários instrumentos de sopro. Eu tinha quatro vocalistas. Agora temos entre seis e sete cantores na banda, mas está mais na veia do Earth, Wind & Fire ou Kool & The Gang ou The Temptations, esse tipo de música. Mas agora nós também… fazemos eventos corporativos, privados para grandes empresas ou casamentos de gente muito rica por todo o país, claro que iríamos até a Europa se vocês quisessem. Se vocês pagarem o que pedimos, iremos. Mas é o que eu faço. Então essa é minha empresa e fica em Times Square em NYC.

[…]

MR: Não demorou muito pra que, logo após o Skid Row se dissolver, você estar em uma banda chamada Ozone Monday, com Snake, Scotti e Rachel. Você poderia nos contar um pouco mais sobre a banda?

Rob: Foi um período bastante desconfortável. Eu não estava me dando bem com Sebastian, e nenhum dos outros caras estava de boa com ele. Ele estava muito difícil naquela época e então, isso meio que forçou os caras a se unirem e tomarem a decisão de trocar de vocalista e eu não queria de fato seguir sem Sebastian. Eu achava que Sebastian era uma parte integral do Skid Row, tal como Rachel e Snake, porque eles compunham muito da música. Mas eu não estava convencido sobre a música que estávamos tocando, eu não estava convencido de que o vocalista [Shawn McCabe] era a escolha certa. Não que ele fosse ruim; eu não estava convencido de que ele fosse o vocalista certo. Ele era um bom vocalista, eu só não achava que ele fosse certo e pra ser honesto eu perdi minha paixão por música, pelo que estávamos fazendo. Isso começou a ficar claro e foi aí que eu e a banda nos separamos, porque eu não estava mais interessado no que estávamos fazendo àquela altura.

[…]

MR: E quanto a Sebastian Bach? Você gosta do atual trabalho e atividades musicais dele?

Rob: Eu acho que, no fim das contas, a soma de todas as partes é maior do que as partes isoladas no nosso caso. Eu não acho que ninguém no Skid Row fosse um grande virtuoso em seu instrumento. Eu acho que éramos todos muito bons e éramos ótimos como unidade e eu ainda acredito nisso até hoje. Sebastian está seguindo em frente e eu acho que eu adoraria a oportunidade de reunir a banda mais uma vez comigo e Sebastian. Eu acho que seria um momento fenomenal, pelo menos para mim. Eu sinto falta. Sinto muita falta.

MR: Mas vocês já conversaram a respeito, sobre uma reunião, você e eles, certo?

Rob: Bem, eu falei com Rachel, eu falei com Sebastian. Eu já falei com Scotti e falei com Snake. Na época, Rachel disse que de jeito nenhum.

MR: Por que os três membros originais da banda parecem odiar tanto a Sebastian?

Rob: Bem, eu não odeio Sebastian.

MR: Mas Rachel, por exemplo?

Rob: Eles são duas pessoas, e portanto, têm suas diferenças. Eu acho que é uma pergunta que deveria ser feita a eles, mas você não… Certa vez Sebastian me disse, estávamos brigando e ele disse, “Eu não tenho que ser a porra do seu melhor amigo. Eu não tenho que sair pra comer uma porra duma pizza com você, eu só preciso fazer um som com você”.

[…]

MR: Por que é que você nunca entrou para nenhuma outra banda, mesmo que fosse apenas para uma turnê? Você deve ter tido algumas boas ofertas ao longo dos anos.

Rob: Sabe, já me chamaram para fazer algumas turnês enormes por estádios, não vou dizer quem, e uma dessas pessoas foi Sebastian.

MR: OK, isso não me surpreende.

Rob: isso foi há dois ou três anos e na época eu tinha passado por uma cirurgia, eu tenho um quadril novo. Perdi o quadril, muitas mulheres [risos]. Bateria demais. Então passei por uma cirurgia, mas agora estou bem e de volta. Então, veremos, talvez no verão que vem, espero eu. Será legal.

MR: Mas com quem…[riso]?

Rob: Eu não sei, veremos. Ver o que podemos fazer, eu amaria fazer isso. Seria legal se fosse com o Skid Row. […]

 

 

O dia 12 de Novembro passado, o MOTÖRHEAD se apresentou no Mitsubishi Electric Halle em Düsseldorf, Alemanha. O show foi filmado para o célebre programa televisivo Rockpalast, da rede WDR Network.

O show na íntegra será transmitido no dia 15 de Dezembro e disponibilizado online logo após.

Veja parte da performance no stream abaixo.

Em passagem por Amsterdã, em mais uma parada de sua atual turnê europeia, o icônico guitarrista bretão SLASH, acompanhado de sua banda – MYLES KENNEDY & THE CONSPIRATORS – tirou mais um coelho da cartola em sua apresentação de ontem à noite.

A faixa “Double Talkin’ Jive”, do álbum “Use Your Illusion I’, voltou a ser executada ao vivo por ele, pela primeira vez desde 1993, quando ele ainda integrava o GUNS N’ ROSES. “Double Talkin’ Jive”, concebida originalmente por IZZY STRADLIN após assistir ao noticiário local e tomar conhecimento de uma cabeça e uma mão humanas terem sido achados na lixeira atrás do estúdio onde a banda gravava, estreou ao vivo na segunda edição do ROCK IN RIO, em janeiro de 1991.

Um vídeo com a performance de Slash – incluindo o belo e personalíssimo solo que preenche a segunda metade da canção – pode ser visto em streaming abaixo.

 

 

Video footage of RED DRAGON CARTEL, the band led by former OZZY OSBOURNE and BADLANDS guitarist Jake E. Lee, performing the OZZY classic “The Ultimate Sin” on November 22 at the Whisky A Go Go in West Hollywood, California can be seen below.

Bassist Ron Mancuso recently decided to leave RED DRAGON CARTEL in order to return to his production career. He was replaced by none other than Lee‘s former BADLANDS bandmate Greg Chaisson.